Calar! Por quê?

Em 2010, vamos ter eleição. O momento é de reflexão, sobretudo, para quem pensa no amanhã. As pessoas inteligentes e livres pensam, agem, opinam, respondem e exercem sua cidadania.

Num país democrático, temos o direito de expressar nosso pensamento, agradando ou desagradando, não importa, contanto que a finalidade seja informar, sem fugir do princípio de que assim se pratica a educação.

Ano político pressupõe mudança no parlamento, o que seria bom para que tivéssemos a oportunidade de testar caras novas, o que não é fácil porque a luta pela permanência do quadro é tão feroz que a população pobre e desempregada não tem como reagir.

É bom que se diga que, essa impotência está presente nas diversas classes sociais, inclusive, onde não deveria estar, haja vista que um projeto do governador do Estado, que prejudica a classe dos professores, teve o apoio de 30 deputados, somente 8 se destacaram como defensores da classe.

A decisão dos trinta parlamentares deixou a classe dos professores estarrecida, decepcionada, mas esse é o retrato dos nossos representantes. E o pior, alguns deles, ainda têm o cinismo de falar em educação de qualidade.

Professor Enedino Soares