E o professor? Dançou?

O governo do Estado
Ao povo enganou
Na verdade a educação
Por aqui não avançou 

Enquanto ele saía
Numa euforia geral
Inaugurando escolas
Com o dinheiro federal 

Ao mesmo tempo montava
Um plano estarrecedor
Reduzia o salário
E o PCC do professor 

A culpa não é só dele
Tem um monte de culpados
Quem assinou a sentença
Foram os seus deputados 

Isso prova que o nosso voto
P’ra eles não têm valor
Um voto tão importante
O voto do professor 

E numa prática nefasta
Constrói escola e galpão
E diminui o salário
De quem faz educação 

O governo do Estado
Levou a coisa no grito
Não quis nem negociar
Gerando grande conflito 

O problema acontecendo
Eu digo sem atrapalho
A coisa ficando preta
Dentro e fora do trabalho 

Descumprimento de lei
Coisa ditatorial
Sem diálogo produtivo
Política educacional 

Professor foi desprezado
Quase entra pelo cano
Prejudicando o ensino
Do povo pernambucano 

E fica pregoando
Que deu revista e jornal
E também deu notebook
E bônus p’ra bienal 

Foi através do jornal
Que mentiu p’ra mais de mil
Dizendo que aqui pagava
O primeiro Piso do Brasil 

Perder plano de carreira
Isso não é ser gentil
E ainda receber
O pior salário do Brasil

Meu papai disse: “Meu filho”
Estude p’ra ser doutor
Eu respondi p’ro meu pai:
“Eu quero ser professor” 

Estudei o ABC
A cartilha e o primário
Fiz teste de admissão
Terminei o secundário 

Eu passei em matemática
Uma nota sem defeito
Alguém disse: “Tu és doido”
Devia estudar Direito 

Ele disse: “Meu amigo”
Tu nunca vai ser feliz
O que tu ganha por ano
Ganha por mês o juiz 

Um Estado que lutou
Usando faca e trabuco
Onde o mestre ganha menos
É no nosso Pernambuco 

Acabaram com qüinqüênio
Deixando o mestre infeliz
E agora acabaram
Com o nosso pó-de-giz

Quem fez isso com a gente
Não pensa em educação
Massacraram uma classe
Quem é orgulho da nação 

Vamos botar na parede
P’ra quem fez esse favor
Nessa casa não tem voto
Aqui mora um professor 

E depois de 30 anos
Lutando por ideais
O presente que me deram
Foi ganhar só mil reais 

Duzentos de aluguel
Cento e cinqüenta de luz
Cem reais de conta d’água
E o resto? Meu Jesus! 

Mercadinho, quatrocentos
Barriga não espera não
Centro e cinqüenta que sobra
Não paga nem o cartão

E o resto das despesas
Não me deixa na saudade
Onde fica a cervejinha?
Onde fica a faculdade? 

Quando Lula implantou
Para o professor o Piso
Eu disse: “Graças a Deus!”
Agora não fico liso

Construir minha casinha
Fazem um álbum de foto
Comprar p’ra mim um carrinho
E p’ra meu filho uma moto 

Vou realizar seu sonho
Pois ele é otimista
Vou pagar a faculdade
E ele vai ser dentista

Vou poder me aposentar
Com um salário decente
Não vou procurar emprego
Vou ajudar minha gente

Esse povo que votou
Nem parece que tem sangue
Acabou com o professor
E vai acabar com o mangue 

Eu sou filho de jaqueira
Orgulhoso do que sou
Eu não me arrependo nunca
De hoje ser professor 

Eu não sou um sonhador
Mas ando assim pelos ares
Sou herói, sou professor 
Meu nome é Paulo Tavares.


 

Paulo Tavares

Professor da Rede Estadual de Ensino de Pernambuco