Trabalhadores em Educação reconhecem importância do Sassepe em Plenária


O Sintepe realizou a Plenária sobre o Sassepe hoje (19), no Centro Social da Soledade, no Recife. A discussão girou em torno dos descontos relativos ao Sassepe nos contracheques dos beneficiários com dois vínculos. De acordo com os dados da Secretaria de Administração e Instituto de Recursos Humanos (IRH), existem 5.658 beneficiários com desconto em dois vínculos e 11.414 mil matrículas inseridas nesse contexto. Essas pessoas estão distribuídas em diferentes secretarias e órgãos, como Funafin, Secretaria Estadual de Educação, Secretaria da Saúde e Universidade de Pernambuco.

Durante debate, os trabalhadores em educação reconheceram a importância do Sistema para saúde dos servidores e defenderam sua valorização. Os trabalhadores pontuaram ainda as fragilidades do Sassepe nos setores de fisioterapia em todo o estado, pediatria e odontologia nas agências do interior, oncologia considerando o aumento da demanda em todo o estado e a precariedade estrutural das agências do interior. Entretanto, mesmo com esse cenário, os servidores reafirmaram a importância do Sistema e expuseram que a contribuição do Sassepe é menor do que os valores pagos aos planos de saúde. "As pessoas reclamam que pagam um valor muito alto pelo Sassepe, mas não pagamos os mesmos valores dos planos de saúde. Pagamos menos e não corremos o risco de sermos expulsos do Sistema, fato que é uma realidade nos planos de saúde. O dinheiro nos faz falta porque nós ganhamos pouco" defendeu José Severino de Barros, diretor do Sintepe.

Os trabalhadores em educação também condenaram a falta de investimento do governo na saúde, enquanto disponibiliza mensalmente para a Arena de Pernambuco um recurso de quase R$ 900 mil. Esse valor poderia ser investido no Sassepe e, consequentemente, na saúde do trabalhador. “Precisamos estar mobilizados assumindo a luta pela sustentabilidade do Sistema, conscientes de nossa responsabilidade para daí podermos pressionar o governo para que faça sua parte, no patamar necessário à preservação dessa grande conquista, para todos os servidores”, declarou Floretina Cabral (Morena), Presidenta da Assepe. Sobre as reclamações, a orientação é encaminhar as queixas para a Assepe, ouvidoria do Sistema e do Hospital. Os telefones para esta finalidade estão disponíveis no final desta matéria.

Durante plenária, os seguintes encaminhamentos foram definidos: a produção de uma cartilha sobre o Sassepe com dados e informações, produção de relatórios sobre queixas, elogios e sugestões dos usuários por parte dos setoriais e das regionais (esse material pode e deve ser compartilhado com a Assepe e ouvidoria do Sistema e do Hospital), consultar a Assessoria Jurídica do Sintepe acerca da possibilidade de contribuir com o Imposto de Renda para a recuperação do hospital, uma ampla campanha de valorização do Sistema. O sindicato realizará ainda quatro plenárias (Salgueiro, Vitória, Caruaru e Região Metropolitana do Recife) para aprofundar o debate com a categoria e uma Assembleia para deliberar sobre o assunto.

Sistema – Em sua fala, Morena fez um resgate histórico e explicou que o Sistema é resultado da luta dos servidores, que foram atingidos pela Reforma Constitucional em 1999. A Reforma extinguiu o Ipsep e desobrigou os governos a oferecerem serviços de saúde aos seus servidores. Os trabalhadores começaram a lutar pelo serviço de saúde e, quando esse debate chegou à Secretaria de Saúde, o secretário em questão afirmou que o SUS não tinha condições de comportar a demanda dos trabalhadores e dependentes do antigo Ipsep. A fala contribuiu com o fortalecimento da reivindicação dos servidores, que estavam organizados por meio do seu Fórum e conquistaram seu objetivo após um ano de mesa de negociação. O Sassepe virou uma realidade.

Sassepe não é Plano de Saúde - Um dos princípios que rege o Sassepe é a sua autonomia em relação à Agência Nacional de Saúde (ANS). Esse princípio, inclusive, estabelece que o sistema tenha uma legislação estadual específica e não fique à mercê da ANS, que normalmente favorece as operadoras em detrimento do público. Como consequência da adoção desse princípio, o Sassepe se estabelece como Sistema e não como Plano de Saúde. “No Sistema, todos pagam os mesmos valores e têm os mesmos direitos. Nos Planos de Saúde, cada cliente tem um tipo de contrato e cada contrato dá direito a serviços diferenciados”, explicou Morena.

Reclamações:

Ouvidoria do IRH (81) 3183-4883 / 3183-4879 / 3183-4871 / (81) 3183-4685 / 3183-4687

Telefone da Assepe 3183.4696/3032.2873. 
Email: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Foto: Agência JC Mazella