Durante live, Sintepe fala de conteúdo que foi apresentado ao Governo do Estado

Seguindo um cronograma de debates e discussões acerca da educação do estado e também no âmbito nacional, o Sintepe (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco), apresentou na última quinta-feira (04/6), durante uma live transmitida em suas plataformas digitais (Facebook e Youtube), o resultado de uma reunião que teve com a Secretaria de Educação.
Inicialmente a conversa online estava marcada para às 15h, porém, a reunião com o secretário de Educação, Fred Amâncio, fez o Sintepe adiar por algumas horas o bate papo virtual e discutir com o governo negociações pendentes com o Sindicato e a apresentação de um documento. O Sintepe apresentou um documento, intitulado “Diretrizes para a Educação em Pernambuco durante e pós-pandemia”, sendo este título também tema da live.
Este documento foi discutido com toda a direção da entidade, com as regionais e na última segunda-feira (01/6) foi disponibilizado nas suas redes sociais e site do Sintepe. O material continua disponível para consulta e sugestões, tendo um número bem significativo de acesso (visualizações) pelos internautas. O período de coleta das contribuições do documento irá até o dia 15 deste mês, onde após essa data será publicada na sua versão final, ou seja, definitiva.
Segundo Fernando Melo, presidente do Sintepe, “o documento trata da retomada das aulas presenciais, do calendário letivo, da organização do trabalho, das novas estruturas físicas e pedagógicas e da qualidade do ensino e equidade. O documento também segue parâmetros técnicos e científicos, como forma de chamar a atenção para o que está em primeiro lugar, a vida”, ressaltou em suas palavras Melo.
O documento mostra dados, tabelas e índices numéricos, onde grande parte da população (1/4 – 25%), entre estudantes e professores(as), além de outros(as) profissionais estão envolvidos diretamente com a escola, com o ensino. Daí o grande risco de ploriferação diante da pandemia mundial do coronavírus (Covid-19). “O documento traz um olhar social perante o que estamos passando com a doença”, ainda de acordo com Fernando Melo.
A secretaria de Educação ouviu essas e outras diretrizes, ficando acertada outra reunião após o dia 15 de junho, período também que terá sua publicação final e oficial, como foi dito acima.
Já durante a live, participaram do debate Fernando Melo, o diretor Zélito Passavante e a diretora Maria Lúcia, com mediação de Ivete Caetano, também diretora do sindicato. Além disso, havia um interprete de libras contribuindo com a acessibilidade na live.
As discussões sobre o tema deram seguimento e nas palavras de Zélito Passavante. “É nesse ambiente da escola pública que essas diferenças, desigualdades se expressam com maior força e ainda mais no período de pandemia. Uma parte do alunado consegue ter acesso de alguma forma as atividades remotas e a grande maioria não”, garantiu o diretor do sindicato.
Muito do que foi debatido diz respeito à obrigação do estado, pois só conteúdo passado nas escolas não comporta tudo. Maria Lúcia enfatizou a importância de como estarão todos(as) no momento que for permitido a volta presencial das aulas. “É dever do estado acolher bem, fazer bem. E que todos tenham acesso e permanência. Iremos receber na volta às aulas, não sabemos quando, alunos(as) e professores(as) que tiveram perdas. Essas aulas presenciais não poderão ser como antes”, destacou a diretora da instituição. Outros assuntos como: Enem, férias, contrato temporário, piso salarial e outros seguiram debate adentro.
Ao término da conversa, Fernando Melo advertiu sobre os novos protocolos que terão que serem incluídos e seguidos não só no convívio escolar, mas também fora dele. “O protocolo/documento foi entregue na tarde de hoje ao Governo do Estado, e o debate em si ainda vai começar. Juntos as bases e demais companheiros(as)”, finalizou o presidente do Sintepe.
Texto: Ernandes Tavares
Edição: Jônatas Campos