Coluna do Sintepe: O SASSEPE/HSE PÓS-PANDEMIA

A pandemia segue no Brasil e no mundo levando muitos doentes graves às UTIs dos hospitais e causando muitas mortes. Em Pernambuco, pelos dados oficiais, já são mais de 60 mil contaminados e mais de cinco mil mortos. Desde o final do mês passado, o Governo vem adotando medidas de convivência com o vírus. Vários setores estão sendo autorizados a retomar as atividades de forma gradativa.

 

O SASSEPE, seguindo essas orientações, está em processo de retomada gradual das atividades nas duas redes; a própria e a credenciada. A rede credenciada voltou a realizar consultas em quantitativo menor que antes, mesmo assim, trazendo um alento para os/as beneficiários/as que estavam há mais de 90 dias sem essa assistência.

A rede própria, também, está retomando as atividades, com um calendário para os ambulatórios de Saúde Mental e Bucal em Recife e para as agências do interior. Alguns serviços no HSE estão sendo implantados como o ambulatório dos egressos da COVID-19.

Muitas dessas medidas chegaram à representação dos servidores, por meio da reunião do Conselho Deliberativo do SASSEPE-CONDASPE, desconsiderando o papel do Conselho Deliberativo como órgão máximo definidor das políticas estruturais e de assistência do SASSEPE. No sentido de preservar o papel oficial do Conselho, o Sintepe e a ASSEPE, com os demais sindicatos que compõem o Fórum dos Servidores coordenado pela CUT, se posicionam pela participação dos representantes dos/as beneficiários/as na elaboração dos cronogramas da retomada plena, dos serviços das duas redes do sistema, em destaque os prestados pelo HSE, especialmente, os do ambulatório, atendendo às necessidades dos beneficiários/as, com toda a estrutura custeada pelo caixa do sistema.

Diante do exposto, se faz necessário deixar claro que é inadmissível custear ações planejadas do Hospital através de campanha de arrecadação de recursos, depositados em conta bancária pessoal de qualquer profissional, em nome da necessidade do Hospital, enquanto órgão público. Um retorno tão necessário precisa ser em conformidade com as normas oficiais que regem o SASSEPE.

Para tratar de toda as questões referentes ao SASSEPE, o Sintepe, os demais sindicatos do Fórum e a ASSEPE, solicitam da Secretária de Administração o agendamento de reunião, com a máxima brevidade, para que sejam tratadas as questões referentes à sustentabilidade e a gestão do sistema, conforme documento já entregue.

A luta pela assistência inclusiva e pela sustentabilidade do SASSEPE não pode parar!