Ato político pedagógico Paulo Freire marca Conferência da Rede de Mulheres


Entidades representativas de trabalhadores da educação do Brasil e de fora do país, estiveram presentes no ato político pedagógico cultural Paulo Freire, realizado na tarde desta terça-feira (16), na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O SINTEPE participou da atividade.

Quem caminhava próximo à estátua de Paulo Freire, instalada no Lago do Cavouco, ouvia o som típico de bacamarteiros em atividade. Juntos com outros mantenedores da nossa cultura regional, por exemplo, cordelistas, banda de pífanos e quadrilha, eles anunciavam o ato político que seria realizado ao redor da imagem do educador pernambucano, que se estivesse vivo completaria 93 anos, no dia 19.

O presidente do Sintepe, Heleno Araújo definiu a tarde como encantadora na medida em que o ato em seu conjunto retratou a luta de Paulo Freire pela educação e pelo ser humano. O trabalho coletivo, fruto da integração de entidades diversas foi outro ponto lembrado, na atividade que é parte do Movimento Pedagógico Latino Americano. “Precisamos levar as ações para as escolas. Além de mostrar e construir jeitos para estimular o processo de dignidade, nesse país de tantas lutas”, pontuou Araújo.

Da CNTE, Roberto Leão deixou claro que a construção da educação pública de qualidade passa pela escola da vida e nessa perspectiva ele lembra que é necessário uma escola que contribua com pessoas capazes de decidir seu próprio destino.

Para encerrar o ato político pedagógico cultural, a representante da Cátedra de Paulo Freire, Eliete Santiago, definiu a atividade como um grito, tendo em vista que esse é um reconhecimento de anos e de diferentes níveis de contribuição para educação crítica e libertadora. “Paulo Freire traduziu pedagogia em trabalhos nos espaços escolares e não escolares. Viemos festejar o aniversário do educador, influenciados pela prática pedagógica”, assegurou Santiago.A atividade coordenada no palco pela diretora do Sintepe, Marinalva Lourenço, definiu o início da conferência da Rede de Mulheres da Internacional da Educação da América Latina (IEAL), que termina no dia 19 e está sendo realizada no Mar Hotel, em Boa Viagem. Além de educadores brasileiros estão na atividade educadores da Costa Rica, do Equador, de Honduras, do Peru, da Argentina, do Chile, da Guatemala, do Paraguai, do Uruguai, da República Dominicana, de El Salvador, dos Estados Unidos, da Noruega e da Colômbia.



Abaixo, segue a programação dos próximos dias:

PROGRAMAÇÃO

Quarta-feira, 17 de setembro de 2014

08:30-10:00 Painel: Políticas públicas do governo brasileiro, mercado de trabalho, combate à
violência e saúde 
Tatau Godinho – Secretária de Políticas do Trabalho e Autonomia Econômica das Mulheres

10:00-10:15 Intervalo
10:15-12:00 Painel: Políticas públicas, direitos sexuais e reprodutivos
Pollyanna Magalhães – Católicas pelo Direito de Decidir

12:00-14:00 Almoço

14:00-15:30 Painel: Mulher, política, poder e organização
Silvia Camurça – SOS Corpo
Estela Díaz – Secretária da Mulher da CTA/Argentina
Maria Teresa Cabrera – Executiva Mundial da IE

15:30-17:00 Debate
17:00-17:15 Intervalo para café
17:15-17:45 Orientações para as Rodas de Conversa
17:45-18:30 Processo do Movimento Pedagógico Latino Americano

Quinta-feira, 18 de setembro de 2014

08:00-12:00 Rodas de Conversa
12:00-13:00 Almoço
13:00-14:00 Lançamento da Revista Internacional da CNTE/Brasil
14:00-16:00 Apresentação das Rodas de Conversa
16:00-16:10 Intervalo para Café
16:10-17:00 Continuação da Apresentação das Rodas de Conversa
17:00-18:30 Recomendações finais e encerramento

Sexta-feira, 19 de setembro de 2014

08:30 Reunião da CNTE