É chegada a hora de derrubar a Reforma da Previdência


Os líderes do governo na Câmara estenderam em mais uma semana a data limite para a votação da proposta da Reforma da Previdência. A data final da votação da Reforma passou para 28 de fevereiro. Se não houver votos para aprovar as mudanças nas regras de acesso à aposentadoria, o governo desistirá de colocar a proposta em votação. A
CUT e a CNTE estão convocando uma Greve Geral para o dia 19 contra a Reforma da Previdência e é essencial que trabalhadores e trabalhadoras pressionem o Legislativo para que a Reforma não seja levada à votação..

A última versão da Reforma foi apresentada ontem (07) pelo deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) e deve ir à votação pela Casa no dia 19 de fevereiro. O novo texto, que está na sexta mudança, agradou a bancada da bala e estipula a pensão vitalícia para esposas e maridos de policiais mortas/os em serviço. Em relação à Educação, o descaso é o mesmo. O governo fixa a idade mínima em 60 anos (aumento de até 10 anos na idade mínima da regra atual) e penaliza, principalmente, os professores efetivos, pois - enquanto o tempo de contribuição na iniciativa privada é de 15 anos – os professores que são servidores públicos terão de contribuir 25 anos.

O governo reconhece que não tem os 308 votos para aprovar a medida, mas todo cuidado é pouco com essa turma. Pressão neles.

 

Com informações do Jornal do Commercio