Trabalhadores em educação aprovam proposta de reajuste salarial



Discussão e aprovação da proposta do governo foram feitas na sexta-feira (5) em Assembleia Geral da categoria no Centro Social da Soledade, no Recife.

 

Os/as trabalhadores/as em educação aprovaram, nessa sexta-feira (5), a proposta de reajuste salarial do governo em Assembleia Geral. A discussão, realizada no Centro Social da Soledade, no Recife, analisou e discutiu a proposta apresentada pelo governo durante a 5ª mesa negociação, uma vez que a comissão não aprovou a proposta da 4ª rodada de negociação na quinta-feira (4).

A proposta do governo levada à Assembleia concede atualização dos vencimentos em 4,17% após o recesso parlamentar para aqueles/as que recebem abaixo do Piso Salarial e com efeito retroativo a janeiro. Para os/as professores/as que recebem o Piso ou acima do Piso, o reajuste será dividido em duas parcelas: 2,085% em outubro e integralizado em dezembro. Os/as funcionários/as administrativos/as e analistas terão uma elevação de sua gratificação para R$ 175,45 a partir de dezembro. Para chegar a esse quantitativo, os componentes da mesa calcularam o percentual de 4,17% por dentro do vencimento médio dos trabalhadores do segmento. Em relação aos professores com contrato por tempo determinado, o governo não sinalizou reajuste. O Sintepe lembra que os/as aposentados/as terão os mesmos reajustes dos/as profissionais em exercício.

Essa, porém, não foi a primeira proposta do governo feita pelo governo. O Sindicato desaprovou propostas anteriores. A primeira delas tinha como objetivo reajustar o vencimento daqueles que estão abaixo do Piso, e as últimas três propostas concediam reajuste para dezembro. A comissão pontuou que seria importante manter um critério na negociação e esse seria não perder a referência do mês de outubro, período em que há quatro anos os/as trabalhadores/as em educação conquistam o Piso. Só depois de 13 horas e meia de debates a proposta final foi desenhada pelos representantes do governo.

Depois de apresentada à categoria, os trabalhadores deram início a um longo debate acerca da proposta e a aprovaram por maioria. O professor Fernando Melo, Presidente do Sintepe, lembrou ainda que, na última Assembleia Geral, foi levantada a ideia de discutir a alimentação do Siepe e como o sistema pode ser usado como instrumento de pressão dos trabalhadores. A discussão acerca da pauta pedagógica com o governo. Em agosto, o Sintepe promoverá Assembleia Geral.

Informes:

Paulo Rocha, Presidente da CUT, repassou informações sobre a reunião com as centrais sindicais na sexta-feira (28) e essas pontuaram sobre a importância de apoiar os estudantes na mobilização que será realizada no próximo dia 12 de julho em Brasília. A proposta é promover o Dia Nacional de Mobilização. Serão realizados panfletos e cards para compartilhamento nas redes sociais divulgando para o povo o nome dos dois deputados federais pernambucanos que votaram pela Reforma da Previdência e contra os/as trabalhadores/as. São eles: Fernando Rodolfo e Silvio Costa Filho. Paulo Rocha também informou sobre a Plenária das Centrais Sindicais no dia 10 de julho, às 14h, no Sindsep. A atividade será um momento de organização para o dia 12 de julho. Já no dia 14 de julho, o movimento rural realizará a 6ª Marcha das Margaridas.