Quebra de Acordo

Mais uma vez, trabalhadores em educação amargaram a irresponsabilidade do Governo para com a categoria. O reajuste de 5% para os Professores e 6,12% para Funcionários e Analistas, foi encaminhado com atraso para a Assembleia Legislativa (Alepe). A ata de reunião assinada pelos secretários de Educação e Administração, no dia 16 de junho, assegurava que os reajustes deveriam ter sido efetivados nos salários de outubro, e só no dia 1º de novembro, é que o Projeto foi submetido a três Comissões da Alepe, faltando ainda ser submetido à Comissão de Finanças.

A falta de zelo para com a educação, demonstra o nível de (des) Governo que temos e que está preocupado apenas com metas, índices e notas, que muitas vezes, fogem da realidade da sala de aula. Os números podem servir de complemento, análises, mas não podem ser um fim em si mesmo. Diante desse cenário, a nossa categoria não aceitará passivamente ser desrespeitada por um Governo sem palavra e que desde a sua campanha eleitoral esse Governo mente.

Prometeu dobrar o salário do professor e não cumpriu e nem cumprirá. O ano passado, também atrasou em um mês as progressões negociadas na greve, o que atingiu toda a nossa categoria. Agora, mais uma vez, falta com a palavra e descumpre um documento assinado por dois Secretários de Estado.

O reajuste não foi incorporado aos vencimentos de outubro. Segundo o Governo será
Implementado em novembro, retroativamente. Outra ‘novidade’ é o anúncio de que o (des) Governo não tem garantido o pagamento do 13º salário.

AGENDA
08/11 - Plenária Sindical Cutista. Debate: PEC 55 (antiga 241) às 9h, no Sindicato dos Bancários.

08/ 11 – Plenária dos/a s Professores/as de Contrato Temporário, às 18h30, no  SINTEPE.

21/11 - Assembleia Específica para Sócios/as, 14h, SINTEPE (Pauta: Congresso da CNTE)

11/11 -  Paralisação Nacional em defesa da Lei do Piso e contra o desrespeito do Governo do Estado a nossa Categoria.