Sintepe divulga pesquisa sobre infraestrutura escolar no Estado

38% das unidades analisadas enquadram-se no nível estrutural básico

Por  Diego Mendes, da Folha de Pernambuco



A pesquisa “A infraestrutura das escolas públicas estaduais de Pernambuco”, elaborada pelo Observatório de Política e Gestão da Educação, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mostrou que 1.044 unidades analisadas em 2014, 38% enquadram-se no nível estrutural básico, 39% no adequado, 19% no elementar e 4% no avançado. O estudo, divulgado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (Sintepe) nesta quinta-feira (3) usou a escala de infraestrutura escolar. Foram tomadas como fontes as informações produzidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

Conforme a escala, estão no nível elementar as escolas que possuem condições indispensáveis para o funcionamento, como água, sanitário, energia, esgoto e cozinha. As do básico, acrescidos aos itens presentes no estágio anterior, apresentam sala de diretora e equipamentos como TV, DVD, computadores e impressora. No patamar considerado adequado, é preciso ter, ainda, espaços como salas de professores, biblioteca, laboratório de informática, sanitário para Educação Infantil, quara esportiva, parque infantil, copiadora e acesso à internet. No avançado, é preciso contar, também, com laboratório de ciências e dependências adequadas para atendimento de estudantes com necessidades especiais.

Com a pesquisa, a coordenadora do Observatório de Política e Gestão da Educação, da UFPE, doutora Maria Ângela Aguiar, chegou à conclusão de que Pernambuco tem 57% das escolas estaduais abaixo do nível adequado e 19% ainda estão no patamar considerado elementar. O estudo também fez uma comparação relativa das unidades educacionais estaduais de Pernambuco e do Brasil, em 2014.

O trabalho também comparou os níveis das escolas de Pernambuco de acordo com a localização urbana e rural, em 2014. Com isso, os pesquisadores detectaram que 55% das unidades da zona rural estão no patamar elementar e que apenas 8% encontram-se no estágio adequado. Também foi analisada a situação do Estado e as mesoregiões. Dessa forma, chegou-se a conclusão de que o Sertão está em pior situação com 64% de duas unidades abaixo do adequado. A melhor realidade é a da Zona da Mata que tem 5% no elementar e 52% no adequado e avançado. No Recife, 51% dos prédios ainda estão abaixo do adequado.

 

A Secretaria Estadual de Educação, por nota, informou que ainda não recebeu do Sintepe os resultados da pesquisa apresentados pela instituição nesta quinta-feira. Por esse motivo, disse ser inviável realizar qualquer pronunciamento mais específico sobre os dados. A Secretaria disse, ainda, que não conhece a metodologia aplicada no trabalho, porém, baseada nos números divulgados pela imprensa, a princípio, vê com ressalva alguns resultados presentes no levantamento com relação às escolas da rede estadual.