O Sintepe, reiteradas vezes, na última semana, vem se posicionando contra as Portarias da Secretaria de Educação que orientam as escolas da rede estadual para encaminharem aulas e atividades pela internet.

 

 


As notas explicativas do Sindicato anteriormente emitidas são cristalinas no sentido de apontar a absoluta inviabilidade de tal medida em seu caráter obrigatório, pois que, entre tantos outros motivos, desconsidera o conhecido desamparo tecnológico, de parcela, daqueles que estudam ou laboram na rede estadual.


Assim, pelos motivos óbvios e concretos, repetidamente apresentados pelo Sindicato, protocolaremos representação junto ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), nesta segunda-feira (06/04), contra a obrigatoriedade das atividades não presenciais constantes das Portarias da Secretaria de Educação.


O Sintepe, por princípio, defende que toda e qualquer ação do Poder Público, e nesse nosso caso específico não pode ser diferente, assegure a universalidade, a equidade e a qualidade do processo de ensino e de aprendizado. Por isso, não concordamos com essas medidas paliativas que são excludentes e segregadoras.



A DIREÇÃO DO SINTEPE